Porandubas nº 278

No confessionário

Numa cidadezinha de Minas, Padre Elesbão estava esgotado de tanto ouvir pecados, ou, como dizia, besteiras. Decidiu moralizar o confessionário. Afixou um papelão na porta da Igreja, dizendo :

O Vigário só confessará :

2ª feira – As casadas que namoram

3ª feira – As viúvas desonestas

4ª feira – As donzelas levianas

5ª feira – As adúlteras

6ª feira – As falsas virgens

Sábado – As “mulheres da vida”

Domingo – As velhas mexeriqueiras

O confessionário ficou vazio. Padre Elesbão só assim pode levar vida folgada. Gabava-se :

– Freguesia boa é a minha… mulher lá só se confessa na hora da morte !

(Leonardo Mota em seu livro, Sertão Alegre)

Água na fervura

Dilma pegou o balde d’água e despejou na fervura. Essa é a imagem que se pinça das nomeações de Gleisi Hoffmann, Ideli Salvatti e Luiz Sérgio para a Casa Civil, as Relações Institucionais e o Ministério da Pesca. A senadora Gleisi vai gerenciar os projetos e ações do governo. Uma espécie de controladora geral do obreirismo governamental. Ideli fará a articulação com as casas congressuais. Nessa missão, será monitorada pela própria presidente Dilma, que tomou a decisão de mergulhar na piscina política. O affaire Palocci deixa no ar algumas certezas e dúvidas. Vejamos.

Assumindo as rédeas

Com suas decisões, a presidente Dilma assume de modo firme as rédeas do governo. Parece querer dizer : deixem de lado as querelas, administrem com parcimônia seus interesses, não sejam apressados. Alas do PT disputavam o comando da Casa Civil. O nome mais forte era, até então, o do líder Cândido Vaccarezza. Mas o grupo de Marco Maia parecia inflexível. Gleisi apareceu como tertius no processo. A presidente tomou atitude. Mostrou-se determinada a não ceder aos impulsos e pressões partidárias. Jogando com suas pedras no tabuleiro, abre efetivamente o ciclo de seu governo.

Primeira pessoa

Para reforçar este posicionamento, a presidente, por ocasião da posse das novas ministras Gleisi e Ideli e do ministro Luiz Sérgio, usou todo tempo a primeira pessoa : “em meu governo farei isso e aquilo… etc”. Não se referiu uma vez sequer ao seu tutor, o ex-presidente Luiz Inácio. A impressão que passou é que Lula, até então, continuava a dar todas as cartas. Com a retórica mais personalista e com a vontade de fazer, ela mesma, a articulação política, Dilma dá mostras de que não se deixa levar pelas ondas. O barco vai seguir o rumo de acordo com sua bússola.

Para-choque

Frase de caminhão em Minas : “Tropeça no seu orgulho e cai nos meus braços”.

Pesquisas dão o norte

A pesquisa Datafolha confirmou que o affaire Palocci não abalou a imagem do governo. Que oscilou, aliás, dois pontos para cima, de 47% (pesquisa anterior) para 49%. Mesmo a ameaça de volta da inflação não fez despencar a imagem do governo. Há, porém, um dado que quase passou despercebido na pesquisa. A imagem pessoal de Dilma sofreu uma queda. Uma forte queda, aliás : de 17 pontos. Trata-se da avaliação sobre capacidade decisória, estilo, etc.. Ou seja, o conceito de autoridade perdeu pontos. Certamente a presidente já recebera indicações nesse sentido, razão pela qual tomou as decisões para alicerçar o edifício da autoridade.

Lula como sombra

Luiz Inácio tem dito, à boca pequena, que está sendo muito difícil “desencarnar do governo”. Claro, Lula apreciou bastante a passagem pelo centro do poder. E ela, a mulher, dona Marisa, também. O ex-metalúrgico é o último dos políticos carismáticos no Brasil. E não quer pendurar as chuteiras tão cedo. Daí sua atitude de ficar nas margens do poder central, como conselheiro, orientador, artífice da construção política do governo Dilma. Lula quer ser o comandante principal da operação eleitoral do PT, em 2012, que se volta para a meta de eleger cerca de 2.000 prefeitos. E com essa base, Lula pensa em fixar sólidos alicerces para o empreendimento do PT, que é de permanecer 20 anos ou mais no poder.

Ameaça à Dilma

Mas a permanência do ex-presidente nas proximidades do Planalto acaba dando ideia de intromissão no governo de sua sucessora. Ruim para ambos. Dilma dá sinais de que, mesmo com o respeito e admiração que conserva em relação ao seu patrocinador, não gostaria de tê-lo muito perto.

Carta para FHC

Mais um sinal de que Dilma regula seu governo por parâmetros diferenciados da gestão anterior foi uma carta que enviou ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em homenagem aos seus 80 anos. A carta foi além da cortesia rotineira que um mandatário presta a outro. Dilma usou verbos e adjetivos fartos de elogio e admiração. Disse que Fernando Henrique, como ministro e presidente, foi o arquiteto mor da estabilidade econômica. Falou do idealismo do sociólogo quando jovem. Ora, por que tal referência ? Trata-se de um preito de reconhecimento à trajetória do ex-presidente. Reconhecimento que Lula nunca fez. Portanto, a delimitação de atitudes é clara entre Dilma e seu antecessor.

Temer, o amortecedor

Nos últimos dias, um conjunto de notas, declarações e inferências teve como alvo o vice-presidente da República, Michel Temer. Entre as observações, duas partiram de intelectuais, uma de Renato Janine Ribeiro, em O Globo, e outra de Renato Lessa, na Folha de S. Paulo. Ambos praticamente usaram a mesma construção, alegando que o maior problema de Dilma é o vice. E aduziram na direção de que o vice luta pelo poder. Baboseira completa. Sesquipedal ignorância. Ora, esquecem que o vice é professor de Direito Constitucional, portanto, um perfil situado na área do Direito. Talhado para defender o território da legalidade. Michel Temer é conhecido pela maneira de tratar bem os interlocutores : paciente, educado, atencioso. Uma espécie de lã entre vidros. A imagem de aríete – que lhe querem impingir a fórceps – não condiz com a identidade de pessoa afável.

Bunker ou divã ?

Além de vestirem o vice com a roupa do guerreiro – dissonância que salta aos olhos – alguns jornalistas sempre se referem ao Palácio do Jaburu como bunker, fortaleza que abriga tropas dispostas às guerrilhas. Este consultor sabe que o Jaburu, nesses tempos do vice Temer, mais se parece como um teto para administrar ansiedades. E assim, mais se assemelha a um divã.

Padre Américo

Padre Américo Sérgio Maia era vigário de Cajazeiras/PB. Um dia, teve de viajar 28 quilômetros a cavalo para dar extrema-unção a um doente. Chegou cansado :

– Minha senhora, por que vocês não fizeram uma casa mais perto da cidade ?

– Padre, e por que não fizeram a cidade mais perto da gente ?

PT : 70% contra 24%

Se alguém quer saber a razão de tanta disputa entre os grandes partidos da base governista basta ver os números. O PT conta com 24% das casas congressuais, Câmara e Senado. Mas detém cerca de 70% dos cargos Federais. E não quer repartir os cargos de acordo com as densidades de cada sigla. Eis aí a razão maior do imbróglio.

Copa 2014 segura

No quesito segurança, a Copa 2014 começa a ganhar corpo. O primeiro teste do esquema de segurança para Copa em São Paulo, ocorrido no último amistoso do Brasil, contra a Romênia, surpreendeu até mesmo autoridades oficiais. Este foi o segundo realizado no país, depois do jogo contra a Holanda no Estádio Serra Dourada, em Goiânia, e pode representar a abertura de um novo filão para o setor. “Pela primeira vez, a segurança privada trabalhou sozinha na execução da segurança interna de um estádio, em um jogo de futebol, e conseguiu cumprir tal tarefa com excelência. Foi um grande desafio, mas que mostrou aos oficiais e especialistas presentes que as empresas brasileiras de segurança privada, sérias, são capazes de executar este serviço”, avalia José Adir Loiola, presidente do Sindicato das Empresas de Segurança Privada do Estado de São Paulo (Sesvesp).

50 mil profissionais

De acordo com o regulamento da FIFA, os estádios das cidades-sedes, onde os jogos acontecerão, precisam ter uma equipe integrada pelos corpos das seguranças pública e privada. Pelo menos 50 mil profissionais da segurança devem ser escalados para 2014. Atualmente, o segmento mantém-se estagnado e com limitado poder de absorção da mão de obra que se forma.

Barão de Itararé

Apparício Torelly (1895/1971), era gaúcho de Rio Grande. Definia-se assim : campeão olímpico da paz”, “marechal-almirante e brigadeiro do ar condicionado”, “cantor lírico”, “andarilho da liberdade”, “cientista emérito”, “político inquieto”, “artista matemático, diplomata, poeta, pintor, romancista e bookmaker”. Foi um dos maiores humoristas de nossa história.

– Viúva rica, com um olho chora e com o outro se explica.

– Pobre, quando mete a mão no bolso, só tira os cinco dedos.

– Dize-me com quem andas e eu te direi se vou contigo.

Sinal amarelo

Pelo quarto mês consecutivo, a inadimplência cresceu. E 75,74% dos atrasos originam em prestações de até R$ 250. A confiança e a intenção de compra desses consumidores também caíram. Significado : classe C com seu atraso de prestações abre o sinal amarelo para a economia. Quando o bolso aperta, o clima geral fica anuviado.

Terceirização

A Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados aprovou, semana passada, o projeto 4.330/2004, do deputado Sandro Mabel, que “dispõe sobre o contrato de prestação de serviços a terceiros e as relações de trabalho dele decorrentes.” Trata-se do projeto que atende de maneira mais completa as demandas dos setores produtivos. Eis os principais aspectos : Atividades terceirizadas – permite a terceirização de atividades-meio e atividades-fim da contratante; responsabilidade subsidiária – a empresa contratante será subsidiariamente responsável pelas obrigações trabalhistas referentes ao período em que ocorrer a prestação de serviços e responsabilidade solidária – quando a empresa prestadora subcontratar outra empresa para a realização dos serviços, será solidariamente responsável pelas obrigações trabalhistas assumidas pela empresa subcontratada.

TST e a nova súmula

O TST começou a aplicar as súmulas aprovadas em maio. Pela nova redação da súmula 331, a Petrobras ficou excluída da responsabilidade subsidiária em processo movido por um empregado de uma prestadora de serviço. O Tribunal modificou, assim, julgamento do TRT no Rio Grande do Norte, que obrigava a empresa a pagar direitos trabalhistas de um empregado. O relator defendeu o argumento de que a responsabilidade subsidiária de entes da administração pública – direta e indireta – só ocorre quando há evidência de culpa no cumprimento das obrigações impostas pela lei das licitações – 8.666/93. Advogados dizem que empresas privadas poderão pleitear esse mesmo tipo de tratamento com base no princípio da isonomia, previsto na Constituição Federal. O pau que bate em Chico bate em Francisco.

Conselho à ministra Ideli

Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na última coluna, o espaço foi destinado à presidente Dilma Rousseff. Hoje, sua atenção se volta à ministra Ideli Salvatti :

1. O escopo da articulação abriga os seguintes verbos : ouvir, ponderar, esclarecer, argumentar, administrar tensões, conciliar, propor, atender. E deixa fora o verbo irritar-se. O que não significa que deixe de usar a autoridade para não se deixar engolfar no turbilhão de demandas.

2. O jogo de cintura é pertinente ao cargo de ministra das Relações Institucionais. Vossa Excelência poderá desempenhar com eficácia a missão caso leve em consideração esses verbos com seus princípios.

3. A harmonia e a paz política dependerão bastante do seu desempenho no comando das Relações Institucionais.

____________

A coluna Porandubas Políticas, integrante do site Migalhas (www.migalhas.com.br), é assinada pelo respeitado