Em Davos, FMI melhora projeções de crescimento para o Brasil

Fundo Monetário Monetário (FMI) revisou para cima suas projeções para o desempenho da economia brasileira em 2019 e  2020. Para este ano, a estimativa passou de 2% em outubro para 2,2% agora, segundo novas avaliações divulgadas há pouco pelo FMI em Davos, onde tem início hoje a reunião do Fórum Econômico Mundial.

No ano passado, a alta do PIB é estimada em 1,2% (0,3 ponto percentual acima das previsões feitas no “World Economic Outlook” de outubro). O Fundo projeta expansão de 2,3% da economia brasileira em 2021.

O Brasil foi um dos poucos países com viés de alta no novo relatório. No documento, o FMI destacou a melhora do país após a aprovação da reforma da Previdência, em 2019, e a recuperação do setor da extrativa mineral, que registrou uma forte retração após o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG).

Para a economia global como um todo, o FMI estima crescimento de 2,9% em 2019 e 3,3% em 2020 — em ambos os casos, queda de 0,1 ponto percentual sobre as projeções de outubro. Para 2021, a perspectiva é crescer 3,4%.

De acordo com Gita Gopinath, diretora do departamento de pesquisa do FMI, essa suave redução nas estimativas se deve ao viés de baixa nas projeções para a Índia. Apesar da melhoria das previsões, ela classifica como “subperformados” os desempenhos do Brasil e do México (com crescimento zero em 2019 e de apenas 1% em 2020).

O GLOBO