Criar fatos, gerar idéias

As atitudes e os comportamentos distinguem as pessoas. Os líderes são aqueles que tomam a iniciativa, energizam os ambientes, criam as condições de mobilização. São tipos proativos que não ficam esperando as coisas acontecerem. Já os reativos só agem em resposta a estímulos. A História registra o sucesso de todos aqueles que abriram horizontes, descortinando oportunidades, distinguindo novos cenários. Por isso mesmo não se deve esperar pelos fatos, é preciso – quando for necessário – criá-los. O estrategista é aquele que gera alternativas. Segundo o oráculo, quem desatasse o nó que atava o julgo à lança do carro de Górdio, rei de Frígia, dominaria a Ásia. Muitos tentarm desatar o nó de uma corda feita com a casca de uma árvore de nome cornácea. Alexandre Magno vislumbrou duas opções: desfazer o nó ou cortá-lo com a espada. Escolheu a espada, a ideia mais criativa. Conquitou, depois, a Pérsia, que seu pai, Filipe, não conseguira.