Artigos

Veja abaixo todos os artigos publicados.

As caras dos governantes

A vida de uma administração - federal, estadual ou municipal - se assemelha a um carro de quatro marchas. Cada ciclo corresponde a uma marcha. A primeira dá o emp...

Os ácaros da política

A política não é um fim em si mesma. É um sistema-meio para administrar as necessidades do povo. Sendo assim, não deve ser escada para promover pessoas nem meio...

A doença dos governantes

O tempo pode não ser lá muito exato. Regra geral, depois de dois anos e pico, a tendência dos governantes é a de cair num estágio letárgico. Trata-se de uma do...

O Brasil encapuzado e arbitrário

A imensa maré de lama que envolveu políticos na CPI dos Precatórios, a violência policial estampada pelas telas de TV e as redes de corrupção fincadas nas estr...

A gente não tem cara de babaca

O cidadão brasileiro está aumentando suas taxas de racionalidade e, em conseqüência, passa a exigir padrões políticos mais qualitativos. Essa hipótese, cada v...

País dos escândalos

No Brasil, os papéis entre os campos público e privado são facilmente trocados, gerando superposição e invasão, enquanto a coisa pública se transforma em espa...

Não somos uma Nação

Um véu de incerteza teima em cobrir o espírito nacional, adensando as expectativas, aumentando as angústias e diminuindo a crença nas instituições políticas e...

Um murro na cara

O povo não é uma ficção. E nem mesmo está se prestando a ser massa de manobra, como ainda assim o classifica uma categoria de políticos ultrapassados que pensa...

A ampliação dos espaços da razão

A razão, como mecanismo para a tomada de decisões, está ampliando consideravelmente seus espaços junto aos segmentos sociais, inclusive nos setores populares, tr...

O impeachment de Eduardo

  A morte é fria e rápida e não tem nenhuma lógica. Principalmente, quando a morte pega de chofre um menino-quase-rapaz numa região rica e movimentada c...

O povo não é um detalhe

O povo não é uma ficção. Ele está ali correndo para pegar o ônibus das 5, aboletando-se nos trens de periferia, aplaudindo e xingando nos estádios, grudado de...

A morte de um povo sem sonhos

Um povo descrente é como um rio seco. Um povo sem esperança é como uma árvore desfolhada, sem viço e com a cor das coisas mortas. O povo brasileiro pena suas am...

Página 15 de 15« Primeira...1112131415